O INFELIZ RETORNO DA @RUBRONEGRA

Em 2009, durante a última campanha eleitoral no Flamengo, a então candidata Patricia Amorim criou o perfil @RubroNegra no twitter. Após a vitória nas eleições, ela optou por não utilizar mais a ferramenta. Três anos depois, novamente em período eleitoral, a presidente do Flamengo reativou sua conta nesta quinta-feira.

No entanto, desta vez usou uma conta protegida (com cadeado). Ou seja, aqueles que não fossem autorizados por ela não poderiam ler suas mensagens. Qual o sentido de uma candidata não querer que o público leia seus tweets? Realmente, não sei. Seria um desconhecimento da ferramenta de comunicação? Ou mais uma estratégia equivocada por parte de sua assessoria?

Contudo, o pior erro foi o timing para sua volta. Não poderia reaparecer em pior momento. Diariamente, observa-se na rede uma série de xingamentos e impropérios atirados contra a atual mandatária do Flamengo. Será que ela não percebeu que as pessoas iriam aproveitar para extravasar suas raivas diretamente contra ela?  Pois foi exatamente o que aconteceu. Abaixo, transcrevo uma seleção com 20 “recadinhos” enviados pela Nação Rubro-Negra:
Autor Recado para @RubroNegra
patrick

@patrick_1972

Vai ser muito xingada… @RubroNegra: Hoje estamos dando inicio a nossa campanha nas Redes Socias. “Construindo o FUTURO atraves do ESPORTE
Pedrada Rubro Negra

@PedradaRN

Engraçado que Patricia Amorim, a @RubroNegra, só usa twitter de 3 em 3 anos…
Cacau

@claudiasimas

Leiam os tweets da @RubroNegra e vejam como é simples entender pq ela não merece a presidência do @CR_Flamengo nem seu voto para vereadora.
Rafael Burity

@rafaelburity

@rubronegra espero q Vossa senhoria e tda sua assessoria vá pro inferno e ñ ganhe nem eleiçnao p/ síndica. #vergonha apagar os comments
Diego Maia Gomes

@DiihMaia

@RubroNegra você ta acabando com Flamengo some mulher ..
Renata Rosa Graciano

@regraciano

@RubroNegra Muda esse nome,pq vc NÃO é Rubro-Negra!Você ñ é digna de usar o MANTO que um dia,Zico já honrou. #Incompetente
Arthur Chrispin ‏

@achrispin

Patrícia Amorim, é uma vergonha você usar @RubroNegra como twitter. Vergonha. Espero que você nunca mais se eleja a nada na vida.
FMAF

@FMAFoficial

Gostaríamos de convidar a @RubroNegra para um bate-bola no#FMAF LIVE, mas ela bloqueou nosso perfil. Bora comemorar no Clipper !
Luis André Oliveira

@Luis_AndreCRF

A pior presidente da história de um clube agora no TT…. Vamos ver no que vai dar… @RubroNegra
Leo Lagden

@leoargonio

querida @rubronegra vc ama o Fla? Sai e leva junto a Tríade do Mal! Canelada, Morto e Ibsono!
Ana Carolina

@anacarolinacrf_

@rubronegra não tá na hora de você ir embora do Flamengo não?
João Paulo

@Petrone_JP

@RubroNegra Qual é a explicação de parar de pagar Romário sabendo que a dívida vai crescer bem mais?
Jotapê ‏

@JpPaulino

E não é que a @rubronegra já me bloqueou? Nós que devíamos te bloquear de entrar na Gávea!
Pamela Sousa

@paamsousa

@crfgustavo @RubroNegra Muita falta de vergonha na cara dela! Com sorte não vai ser reeleita ! O Flamengo merece pessoas competentes.
Pablo Grupillo

@Urubunatico

@RubroNegra Tenha o mínimo de dignidade e pede pra sair! Vc está afundando o Flamengo com tanto amadorismo.
Dr.House_FLA

@DrHouse_FLA

Perdeu meu voto Paty :-) :-):-) @RubroNegra
#PatriciaNÃO

@cidagomes

E virou chacota RT @Vini_CRFlamengo: O dia em que o Fla foi rebaixado!RT @RubroNegra com 795 votos Pat Amorim e eleita Presidente do Fla
Ad@1LtoN

@adailtonba2

Eu apoio Patricia Amorim (@RubroNegra). Apoio apenas o suficiente para ela cair no precipicio.
 Ceara 

@CEARA4545

O Twitter da pessoa que esta acabando com o Mengão e @RubroNegra, mande sua mensagem pra essa pessoa INCOMPETENTE !!!
Info Flamengo

@Info_Fla

Eu te odeio —> @rubronegra
.
Mas, pintaram também alguns elogios. O problema é que eles vieram de torcedores de outros clubes.
.

Autor Recado para @RubroNegra
Rafael Cassemiro

@rccassemiro


Torcedor do Fluminense

@RubroNegra fica Paty.. Entrei de sócio só pra te reeleger.. Pelo bem do nosso esporte olímpico..
Ricardo Torres

@RicardotorresBA


Torcedor do Bahia

@rubronegra Patricia Nos torcedores do bahia a agradecemos pelo título baiano pois vc DeixouLomba e levou Joel. 50% do título pertence a ti
Diante de tanto “carinho” da torcida rubro-negra, Patricia resolveu, primeiro, sair bloqueando todo mundo. Quando viu que teria que ser praticamente todo mundo mesmo, desistiu! Abandonou o twitter, apagando sua conta. Foi embora e deixou uma impressão ainda pior na rede social. A sensação é que ficou acuada e não suportou a pressão das críticas. O resultado? Acompanhe:
..
Autor Recado para @RubroNegra
martha esteves

@marthaesteves

Paty Amorim reativou o tuinter dela (@rubronegra), mas levou tanta porrada, que ja deletou. Arregou…
Vinicius Paiva

@vpaiva_ge

Patricia Amorim deletou o perfil de Twitter @RubroNegra – UM DIA após reativá-lo. Algo me diz q desta vez ela caiu na real quanto à rejeição
Gustavo Berocan

@RubruNegru

Pena que a carreira da Patricia na Gávea não seja tão meteórica quanto no Twitter. Né @rubronegra?
João Paulo

@Petrone_JP

Parece que a @Rubronegra não aguentou a pressão e deletou sua conta, foi ótimo ela e seus puxa-sacos saberem o que realmente achamos dela.
+1Flanatico

@RafaMengao13

Sa desativou a conta @RubroNegra kkkkkkkkk pensava que a naçao te apoiaria kkkkkkk
Italo Leite

@ItaloLeite87

A @RubroNegra Patricia Amorim deletou seu twitter antes que eu enviasse meus sinceros xingamentos para com sua pessoa! que droga…
#PatriciaNÃO

@cidagomes

O que estariam ela e seu Staff de Merda pensando sobre a repercussão do @RubroNegra ontem no TT? Vem pro embate Patricia!
Marcos Maciel

@macielera

Patricia Amorim deletou o perfil de Twitter @RubroNegra, um dia após reativá-lo. Desta vez ela caiu na real quanto à rejeição.
MARCELO Edgard

@celo22rj

Pede pra sair @rubronegra, pede pra sair @rubronegra, senhor, eu desisto! Kkkkkkkkkkkk
ADT RubroNegro

@ADTRubroNegro

Patrícia Amorim depois de bloquear 35 milhões de torcedores deletou o perfil @rubronegra . Se não sabe brincar não desce pro parquinho!
.
Nas eleições no clube, não sei como a atual presidente se sairá, mas no twitter, ela saiu derrotada!
Quinta-feira, dia 16 de agosto, o dia em que a Nação Rubro-Negra expulsou a Patricia.

-

Saudações rubro-negras,

JEFF – Jorge E F Farah

twitter: @JEFFarah

Postado por Jorge E. F. Farah (JEFF) às 11:39
Comentários (5)

Posts antigos »

Repetições para o bem e para o mal

A derrota para os porcos evidenciou a meninice que existe há muito no Flamengo, não apenas pela expulsão idiota do Ibson, mas pelo fato de os termos enfrentado um ano atrás, com o mesmo felipão no comando. Sem querer supervalorizar o papel do treinador, mas ele fez sua equipe jogar igualzinho ao que foi ano passado. Retranca, marcação cerrada, rodízio de faltas e saída em alguns contraataques contados a dedo. Houvesse um mínimo de continuidade e visão no comando do futebol, e poderíamos nos preparar melhor contra esse tipo de estratégia. Não houve, ao que tudo indica, e pagamos caro por isso.

Há 4 anos, direto do túnel do tempo

Ter um a menos nessas condições de jogo torna virtualmente impossível a reação. Somemos ao despreparo geral, e em especial o de Ibson, o desfalque de Cáceres, e a tarefa de vencer o limitado Palmeiras ficou irrealizável.

Mas nem tudo é má notícia. Ficou clara a evolução do time em termos coletivos. Há agora um mínimo de obediência tática e vejam só, vimos na última partida que sim, Welinton pode fazer bons jogos, se seguir as orientações de Dorival e estiver disposto a compensar sua falta de técnica com aplicação e raça.

Acredito ainda que Liedson vai evoluir fisicamente, e quando encaixar no time, será peça importantíssima na recuperação que agora se vislumbra.

No mais é preparar o azeite porque domingo é dia de filar bacalhau!

AVANTE FLAMENGO!


Postado por Julio Benck às 11:51
Comentários (6)

Posts antigos »

NESTA SÁBADO, TORNE-SE TAMBÉM UM SÓCIO DO FLAMENGO

11 de agosto, Dia Nacional de Mobilização Rubro-Negra. Associe-se, vote nas eleições de 2015 e faça parte do Flamengo que você quer ver.

Há algumas semanas foi publicado simultaneamente em vários sites e blogs rubro-negros o texto convocando para o Dia Nacional de Mobilização Rubro-Negra, em que tentaremos atrair o maior número possível de rubro-negros para se associarem ao Flamengo, a tempo de votarem nas eleições de 2015. De lá pra cá, foram milhares de visitas ao site da campanha e muita gente manifestando seu apoio. Pois bem: o dia é este sábado, dia 11 de agosto. Você vai participar?

Se você está satisfeito com o Flamengo atual, associe-se e você pode ajudar a manter como está. Se não está satisfeito e acha que muito precisa mudar, saiba que é tornando-se sócio que você poderá realmente participar da transformação que quer ver.

Lembrando: o prazo final para se associar nas categorias Sócio Contribuinte, Sócio Patrimonial ou Sócio Off-Rio e poder votar em 2015 é o dia 31 de agosto. Clique aqui e saiba quais são as categorias disponíveis, suas características e seus preços.

Se você não é sócio e é do Rio, vá à Gávea e associe-se.

Se é de outra cidade, pode tornar-se Sócio Off-Rio.
E, se já é sócio, pode ajudar convencendo outros amigos rubro-negros a também fazerem parte do clube. O boca-a-boca é muito importante para todos entenderem a importância, para o destino do Flamengo, de ter mais torcedores participando de suas decisões.

Todas as informações sobre como e por que se associar ao Flamengo estão no site http://www.sejasociodoflamengo.com.br/. Esta é uma campanha na qual se engajaram grupos de sócios, blogs, Twitters, sites e Embaixadas Rubro-Negras; clique aqui e veja quem está fazendo parte.

Compartilhe esta mensagem e ajude o Flamengo a tornar-se o que você quer!

PS: post conjunto de vários blogs rubro-negros

Postado por Jorge E. F. Farah (JEFF) às 09:59
Comentários (2)

Posts antigos »

Pior não pode ficar

Dentro das possibilidades, tanto de mercado quanto de recursos disponíveis, a contratação de Liedson é positiva. Para ele, porque já tem 34 anos, e algumas cirurgias no joelho. Para o Corinthians, que se vê livre de um jogador que estava produzindo pouco, para o Flamengo, que ansiava por dar uma resposta à insatisfação da torcida.

Mas há um cara que também deve estar aliviado com a vinda do reforço: Vagner Love. Sem um parceiro à altura, é flagrante o declínio do artilheiro, deixando clara sua dependência crônica de um companheiro que pense as jogadas, embora este não seja exatamente o perfil de Liedson.

Pelo menos no Flamengo, Love vem mostrando que é uma espécie de coadjuvante de luxo. Se buscarmos comparação com outros jogadores, veremos que Love funciona mais ou menos como Tulio, quando jogou ao lado de Donizete, Careca, quando atuou com Muller, Washington, junto a Assis.

Se Liedson jogar com a leveza que lhe caracteriza, beneficiará Love num aspecto fundamental, abrindo espaços para as investidas do camisa 99. Temos visto Love penando nas últimas partidas, sumido, sem aquelas invadidas perigosas na área adversária. Claro que ele também vem desperdiçando chances, mas é inegável que rarearam as oportunidades claras de gol.

Em meio à tanta notícia ruim, não dá pra reclamar desta contratação. Com a regularização de Caceres, que confesso nunca ter visto jogando, teremos, quem sabe, um esboço de time.

AVANTE FLAMENGO!

Postado por Julio Benck às 17:00
Comentários (18)

Posts antigos »

Recordar é Viver…

Sai Joel, chega Dorival, Paty curtindo férias em Londres…e quase ninguém lembrou que ontem completaram-se 6 anos que saímos da fila da Copa do Brasil, claro, contra nosso sparring preferido em finais!

Bom fim de semana!

YouTube Preview Image

AVANTE FLAMENGO!

Postado por Julio Benck às 13:54
Comentários (4)

Posts antigos »

11 de Agosto – Dia Nacional da Mobilização Rubro-Negra

Se você não está satisfeito com o Flamengo, tem duas opções: ficar reclamando de fora ou virar sócio e participar da mudança.


11/8/2012
Dia Nacional de Mobilização Rubro-Negra

Sábado, 11 de agosto, foi escolhido como o primeiro Dia Nacional de Mobilização Rubro-Negra. A campanha tem adesão de grupos de sócios, Embaixadas, blogs, sites e Twitters rubro-negros. E a data está marcada para quem é Flamengo tornar-se verdadeiramente parte de seu clube, fortalecendo e influenciando nos destinos desta instituição que já influencia a vida de milhões, mas tem seus rumos decididos por muito poucos.
- Se você mora no Rio de Janeiro, é dia de ir à Gávea e tornar-se Sócio do clube!
- Se você mora fora do Rio de Janeiro, é dia de ir a uma Embaixada Rubro-Negra assistir Flamengo x Náutico e levar os documentos necessários para tornar-se Sócio Off-Rio!

Acesse o site da campanha: www.sejasociodoflamengo.com.br

Por que ser sócio do Flamengo?

As instituições mudam conforme a determinação de seus controladores e é crucial que cada um de nós deixe de ser apenas torcedor para virar DONO do Mengão. Ser sócio é deixar de ser consumidor e tornar-se acionista!

Não é admissível que os destinos da nossa Nação estejam nas mãos de apenas 0,02% de Rubro-Negros, que são os que têm direito de voto – e, ainda assim, uma parte deles com pouca ou nenhuma vinculação com o futebol. Para um candidato com ideias parecidas com as suas tenha chance de se eleger, é preciso que existam dentro do clube sócios que apoiem estas ideias. Se você pode ser um deles, a hora é agora!

Pense no tamanho do investimento emocional, financeiro e de tempo você já faz no Flamengo e reflita: você deve ou não dar o passo seguinte para poder realmente influenciar no futuro do clube? Clique aqui e entenda melhor por que todo rubro-negro que tiver esta possibilidade deve se tornar sócio. Atenção: para poder votar nas eleições de 2015, é preciso ser sócio até o dia 31 de agosto deste ano! Clique aqui e entenda os prazos para participar das eleições do clube.

Quanto custa ser sócio?

Se você mora fora do Rio de Janeiro, a mensalidade do sócio Off-Rio, com direito a voto, hoje custa R$40,00. Para quem é do Rio de Janeiro, a mensalidade do Sócio Contribuinte hoje é de R$105,00. Clique aqui, conheça as categorias disponíveis para se associar e escolha a melhor para você.

• Como se associar?

Clique aqui e saiba todos os documentos e procedimentos necessários para tornar-se sócio do Flamengo.

Participe do Dia Nacional de Mobilização Rubro-Negra!
Vamos tentar conseguir o maior número de novos torcedores sócios possível para o Flamengo em um mesmo dia: sábado, 11 de agosto. Quem é do Rio deve comparecer a Gávea para se associar; quem não é, procure a Embaixada Rubro-Negra de sua cidade (clique aqui e veja a lista completa), assista a Flamengo x Náutico com outros rubro-negros e leve os documentos necessários para tornar-se sócio Off-Rio – as Embaixadas farão o envio.
Este post está sendo publicado em diversos blogs e sites rubro-negros que estão aderindo ao Dia Nacional de Mobilização Rubro-Negra. Se você quer ajudar nesta campanha, compartilhe e ajude a convencer seus amigos! Clique aqui para deixar seu contato e saber como fazer mais para participar.

Fazem parte desta campanha:


Blogs, Twitters e sites:

Buteco do Flamengo

Postado por Jorge E. F. Farah (JEFF) às 00:00
Comentários (40)

Posts antigos »

Diego Não Vai Vir? Que Azar!

Se sair um 6 e um 1, é heptacampeão brasileiro!!!

Todos que frequentam este espaço são testemunhas do esforço empreendido para levantar o astral do blog.  Definitivamente, falar só de problema enche o saco de qualquer um. No nosso caso, por ser o Flamengo, fica mais fácil, digamos, desviar o foco do debate para temas mais agradáveis, já que temos muita coisa do que nos orgulhar.

Infelizmente, uma delas não é o profissionalismo dos nossos dirigentes. Em entrevista ao Globo Esporte, o “prefeito” da Gávea, Cacau Cotta deu a absurda declaração “futebol é sorte“. Ou seja, colocou o futebol no mesmo patamar do par ou ímpar, da purrinha e outros jogos, nos quais o que pesa para o sucesso é o acaso. O trabalho sério, focado, com planejamento e metas, foda-se, é o de menos.

Em mais uma saga de heroísmo às avessas, nosso incrível vice de finanças, Michel Levy, depois de trazer Vagner Love debaixo do braço, foi à Alemanha tentar repetir o feito com o jogador Diego. Alguém deveria avisá-lo de que na Alemanha a coisa é um pouco mais organizada que na Rússia. Resultado: o Wolfsburg enviará um carinhoso NÃO à proposta do Levy – não do Flamengo – para contratar Diego, com direito a papel timbrado, autenticação em cartório, avião passando na praia com faixa, placa traseira de para-choque de caminhão e o que mais precisar.

E agora José, que faltam míseros 7 dias para fechar a janela de transferências? Vai parir um camisa dez? Qual será o plano B, o recém-decadente Riquelme? Tem categoria, mas trazê-lo pode tumultuar mais ainda um ambiente caracterizado por panelinhas e egos imbecis inflados de jogadores deslumbrados. Somemos a isso a iminente contratação do Adriano, que como todos sabem, é uma bomba relógio ambulante, e tá pronto o cenário perfeito para mais intrigas e insatisfação.

Tudo isso começou quando a sra. presidenta resolveu, assim, do nada, só pra não dar o braço a torcer, bancar 1,2 milhão/mês pro Ronaldinho.  Saber como e de que forma vai ser paga a folha salarial, faz parte do planejamento, sabiam? Só essa turma que dirige o Flamengo parece não saber.

Ou seja, se houvesse seriedade, os salários de Ronaldinho seriam pagos, as chances dele aloprar e mandar o clube pra PQP seriam reduzidas – não eliminadas – e hoje o clube não estaria mais uma vez à beira da prancha, desesperado pra trazer um cara que saiba jogar bola.

Mas e daí, quem se importa? Afinal, futebol é sorte né?

AVANTE FLAMENGO!

Postado por Julio Benck às 11:38
Comentários (15)

Posts antigos »

Fla x Flu – 100 Anos

A já conhecida Náyra estreia aqui no blog fazendo a análise dos jogos do Mengão. Segue o texto abaixo:

Durante a semana Joel fechou treinos, reclamou quando acabaram liberando a entrada dos jornalistas e sobre as informações liberadas ao público. O que se via era um time jovem, ousado e veloz do meio para frente:

Seria um time com muito mais posse de bola, capacidade de drible, penetração e finalização, além de termos 3 jogadores com boa técnica de bola parada e melhor aproveitamento que Renato. Obviamente a expectativa de todos subiu em relação ao jogo, Abel mostrou-se cauteloso nas coletivas apesar de confiante e tudo indicava que o Fluminense viria completo, apesar de Thiago Neves e Fred voltarem de lesão.

Linda festa, jogo de artistas e ex-jogadores com belos lances, estádio cheio (para padrões do Engenhão) e a chuva que havia caído durante todo o dia dera uma trégua. Claro que o gramado foi prejudicado pelo mal tempo, havia ocorrido jogos recentemente e, portanto estava pesado, havia alguns buracos que faziam com que a bola não rolasse perfeitamente, porém nada que atrapalhasse o jogo, inclusive inicialmente a bola nem estava molhada o suficiente para atrapalhar os goleiros.

O Fluminense entrou completo como prometido, já o Flamengo de Joel mais uma vez apresentou a velha formação ineficaz, diferente da usada na maior parte dos treinamentos semanais, sendo a única “novidade” o posicionamento de Luiz A. na lateral direita desde o início para a entrada de Bottinelli no meio (finalmente jogamos desde o início com um armador), uma substituição já comum no 2° tempo de jogos anteriores. Assim começamos com:

Como imaginado, com Wellington Nem e Bruno Vieira apoiando muito o ataque na direita, à defesa rubro-negra ficou muito exposta. Magal é um ala e não um lateral, marca mal e precisaria de um apoio do meio campo, porém naquele setor temos Renato e, mais ao centro, Amaral, dois jogadores que sobem muito e não têm velocidade para recompor, assim vimos Gonzáles sobrecarregado na nossa esquerda, o que ocasionou na falta em cima do rápido W. Nem. A maioria dos gols do Fluminense neste BR12se originou de bolas paradas ou rebotes destas, pois há uma série de jogadas ensaiadas, assim não foi surpresa ver um gol tricolor logo no início do jogo, visto que possuíam mais volume de jogo, velocidade, objetividade e a zaga rubro-negra além de estar, como sempre, desprotegida, não consegue se coordenar para marcar dentro da área.

Com a vantagem no placar, tendo 2 de seus principais jogadores voltando de lesão e com seu armador já tendo histórico recente de lesão, Abel que conhece bem as históricas e, por que não dizer, heroicas viradas nesses 100 anos de Fla x Flu, recuou o time em uma “retranca” arrumada e eficiente. Com o campo pesado e a deficiência rubro-negra em virar o jogo rapidamente ou mesmo acertar uma troca de passes vertical, a ideia era ficar em suas duas linhas de 4esperando o adversário atacar, aproveitando os erros de passe para sair rapidamente no contra-ataque.

O time do Flamengo então teve maior posse de bola, porém na maior parte do tempo trocava passes no meio, procurando um espaço para entrar na defesa tricolor. Bottinelli, que precisa de tempo e continuidade para se acertar com o time e se adaptar, era o único que tentava jogadas verticais, dribles objetivos e evitava os chutões para frente, na direção de Love ou Diego M., já nas laterais não havia triangulação possível com Renato e Ibson errando muitos passes, jogadas e sendo facilmente desarmados.

No 2° tempo o jogo melhorou com a entrada de Adryan que se movimentava bem na frente, fazendo o atacante rápido, que sabe driblar e tabelar, para que Love fizesse o pivô, praticamente tudo o que Diego deveria fazer e não consegue/sabe. Começamos a ter melhores chances, finalmente passamos a chegar com perigo à área adversária, mas Bottinelli ainda seguia irregular no meio campo e não conseguia jogar com Renato e Ibson, ambos mal no jogo para qualquer um que visse, menos Joel que esperou estarmos nos minutos finais para tirar Amaral e por Matheus, que deu outra movimentação e nos fez chegar mais, porém com os jogadores cansados, tendo pouco tempo para arriscar, não deu para sair ao menos com o empate.

Joel diz que o time jogou bem, teve mais a bola e o gol não saiu por detalhe, Renato exalta o placar magro como mostra de que o time pode bater de frente com os grandes de igual para igual, porém era visível que o Fluminense não estava a fim de jogo, Fred como sempre se posiciona bem na área e escorou bem para o gol, tirando do Paulo Victor (não vi falha do goleiro ali), mas a verdade é que o artilheiro tricolor estava mal, sem ritmo algum de jogo, Thiago Neves tentou contra-ataques na nossa direita, mas logo cansou até porque Luiz,Ibson e Marllon estavam segurando bem ali, assim sobrou apenas W. Nem para comandar os contra-ataques, muito mais eficazes que nosso ataque por sinal. Números que comprovam o quanto nosso time foi mal:

-Finalizações: 7 pro Fluminense e 14 para nós, entretanto só 1 bola defendida por Cavalieri e 1 na trave, enquanto o adversário além do gol, conseguiu 2 defesas do Paulo Victor. Ou seja, 3 bolas tricolores na direção do gol e apenas 1 rubro-negra.

-Passes errados: 32 para nós e apenas 24 para eles.

-Roubadas de bola: 12 a 9 para eles.

-Impedimentos: 5 a 1 para eles.

Vendo estes números, quem agrediu mais? Quem foi mais eficiente? Quem teve mais volume consistente de jogo? Do que adianta termos a bola e ficarmos rolando de pé em pé de uma lateral a outra no meio do campo? Do que adianta, na incapacidade de penetrar na defesa adversária, dar chutão de longe e isolar a bola? Para que treinar um time e escalar outro? Porque manter jogadores lentos em campo? Porque a zaga nunca tem cobertura adequada?

Para finalizar, jogadores que merecem destaque:

-Adryan: Na falta de um atacante rápido pode atuar improvisado ali, mas ainda seria melhor no meio ao lado de Bottinelli ou do 10 que chegará. Para atuar com Love, ao menos no início de jogo, é melhor manter Deivid ou testar o Lucas (da base).

-Amaral: Jogador do mesmo empresário que Joel, tornou-se substituto de Airton porque Muralha “avançava muito”, porém nosso garoto da base sabe guardar posição muito melhor e é veloz.Novamente vimos Amaral atacar como um 3° homem de meio e não conseguir acompanhar o adversário no contra-ataque, também em cima dele quase tomamos o 2° gol numa falha bizarra dentro da pequena área, todos também giram nas costas dele.

-Arthur Sanchez: Outro jogador do Léo Rabello, não foi aproveitado por Luxemburgo e vimos o porquê ontem: o cara bate bem! Se estivéssemos tomando pressão, seria um candidato a levar vermelho.

-Ibson: Jogou bem no 1° jogo e só, vem caindo de produção com o passar dos jogos e os erros de passe estão começando a prejudicar muito o time. Fica complicado criticar demais com o esquema maluco do Joel e falta de treinos, mas hoje merece ser banco do Cáceres.

-Luiz A.: Foi melhor na lateral que Wellinton Silva e Léo Moura, consistente no ataque, está se adaptando bem também a marcação pelo setor. Seria um pouco de sacrifício por ele ali e não no meio? Sim, mas temos outros bons jogadores pro meio como Cáceres, Adryan, Matheus, deve chegar um 10 esta semana. Enfim, podemos mandar Léo Moura embora e deixar o Luiz ali.

-Love: Vem caindo muito de produção desde que Deivid saiu do time, não pode jogar sozinho ou indo buscar o jogo no meio de campo. Não teremos nosso artilheiro do amor até termos um 10 e um mínimo de organização.

Saudações Rubro-Negras

p.s.: Minha estreia no blog, estou muito feliz pelo convite dos rapazes. Irei fazer as análises dos jogos do Flamengo e espero que curtam e comentem bastante com seus pontos de vista.

Postado por Jefferson às 14:17
Comentários (39)

Posts antigos »

Mais 100 anos de glória!

A torcida Rubro-Negra compareceu ao estádio da prefeitura para acompanhar seu Clube de coração no centésimo aniversário do clássico Fla x Flor. Jamais vi um jogo de futebol com tantos atrativos. Banda tocando o hino dos clubes, preliminar com ídolos e artistas e show no intervalo. Algo comum nos eventos esportivos de outros países, mas incomum por aqui. A atenção dada pela mídia também foi generosa. É um clássico importante, o mais charmoso deles e o que carrega uma bonita história.

Se tem uma mentira que dizem sobre o Flamengo é que ele surgiu do Flor. Mentira! O Flamengo é de 1895 e o Flor de 1902. O esporte terrestre do Flamengo começou a partir de ex-jogadores do Flor que procuravam um novo Clube para jogar. Eles se desentenderam com a diretoria no Carioca de 1911, e mesmo com certeza da rescisão foram homens o suficiente para conquistar aquele título para só depois rescindirem com o clube. Atitude de homens de verdade, que mereciam defender um Clube de homens de verdade e por isso se adequaram perfeitamente ao Flamengo.

Em relação ao jogo de ontem, acho que ficou acima do que os times têm apresentado, mas abaixo das tradições do clássico. Vi um jogo em que o Flamengo esteve melhor, e o Flor se limitou a se defender e sair nos contra-ataques, mesmo tendo um meio-campo mais criativo que o Flamengo. Mas mesmo nessa tática covarde, foram eficientes. Marcaram logo cedo o gol deles e aí é que se defenderam mesmo. O Flamengo apesar da posse de bola, criou poucas chances claras de gol. Fruto de um sistema ofensivo pouco agressivo, pouco vertical. Falta agressividade para concluir.

Nossos atacantes não estão acertando nada. Muitos podem me criticar, mas o Love rendia muito mais com o Deivid ao lado dele. O Deivid faz bem o papel de pivô, enquanto que o Diego Maurício não tem feito nada bem. Nossa zaga falhou novamente. O gol deles foi uma sucessão de erros, tanto ao afastar a bola e principalmente em permitir que uma bola baixa passasse por todos. Adryan não é atacante.

No futebol de resultados se tornou comum o bom zagueiro virar volante, o bom volante virar meia e o bom meia virar atacante. O resultado são times competitivos, com poder de marcação forte e pouca criatividade. Até mesmo os times que possuem jogadores criativos e habilidosos estão se recusando a usar suas habilidades em troca de um jogo feio e eficiente. Abel mostrou isso ontem.

Derrota para os flores e estacionados na 9ª posição. Notei uma melhora na atitude dos jogadores. Notei uma melhora com o Ibson jogando mais recuado como 2º volante, que é sua posição. Resta lançar o Adryan com mais tempo e um pouco mais recuado conduzindo mais a bola e tocando no meio campo. Deixa-lo no ataque é um desperdício.

Mas para os apaixonados, supersticiosos e esperançosos, lembremos que o 1º Fla x Flor da história foi com vitória deles e o que vimos nos 100 anos seguintes foi a hegemonia no Carioca, 6 títulos brasileiros, 2 Copas do Brasil, 1 Libertadores, 1 Mundial, além de outros títulos e a vantagem no confronto direto. Por isso, o resultado de ontem nos garante uma coisa: mais 100 anos de títulos e conquistas.

SRN, Jefferson Freire – jeffersonfreire@saudacoesrubronegras.com.br

Postado por Jefferson às 11:25
Comentários (4)

Posts antigos »

Centenário é pouco. Queremos a eternidade!

A semana que antecede o Fla x Flu comemorativo pelo centenário do clássico tem sido de homenagens e de muita nostalgia. Para fugirmos um pouco do sempre frustrante noticiário do Flamengo, citarei aqui os Fla x flus mais marcantes para mim.

E para vocês? Qual foi o Fla x Flu mais “Fla X Flu”?

Flamengo 2×1 – Taça Cidade Maravilhosa – 1996

YouTube Preview Image

* Amargávamos 7 jogos sem ganhar do nenC, e por isso tivemos que ouvir antes do jogo aquela musiquinha que nos infernizou durante a temporada anterior ♫ O primeiro zero a zero…♫

O jogo caminhava para para o empate, quando aos 49 do segundo tempo, Nélio faz um gol de canela e põe fim ao insólito tabu. Era o início da trajetória que culminaria no título estadual invicto.

Flamengo (5)1×1(3) – Final da TG de 2001

YouTube Preview Image

* Quem estava na arquiba sabe. A torcida do nenC comemorou a defesa de Murilo, enquanto a nossa praguejava pelo penal desperdiçado pelo garoto Cássio. Mas aí…

Flamengo 2×3 – Final do Estadual de 1995

YouTube Preview Image

* Um jogo épico, o maior de todos. Perdemos, mas o gol de Fabinho foi a maior explosão de alegria da torcida do Flamengo que já presenciei.

AVANTE FLAMENGO!

Postado por Julio Benck às 15:00
Comentários (18)

Posts antigos »

Uma vitória assustadora

Não tem muito tempo postei aqui uma frase dizendo que o importante era a conquista dos 3 pontos. Continua sendo importante, mas não é só isso. Os 3 pontos de ontem foram comemorados como alívio. Mas não dá para fechar os olhos para tudo o que vimos ontem, tanto de bom, quanto de ruim. O saldo da conta se resume a 3 pontos na sacola e muitos erros assustadores.

A grande verdade é que saí do estádio com a impressão de que qualquer time ruim pode parecer organizado quando joga contra o Flamengo. É fácil marcar nosso ataque, fácil dominar nosso meio-campo e fácil vencer nossa defesa. Só está difícil bater nosso goleiro. E aí que percebi o grau do desespero. Quando se joga contra o lanterna do campeonato e o jogador que se destaca é o nosso goleiro, algo está muito errado. Paulo Victor fez defesas importantes ontem, e sem elas tomaríamos uma goleada. Aliás, o Felipe para recuperar sua condição de titular terá que fazer muito mais do que só beicinho e cara feia. Paulo Victor está jogando muito.

Não dá para entender como nosso meio-campo permite que o adversário jogue livre. É fácil virar a bola de um lado ao outro, já que a marcação é fraca. Não há combate, apenas uma vigilância distante. Quando temos a bola os jogadores permanecem juntos, embolados, atrapalhados. E quando aparece uma opção do outro lado do campo, poucos se arriscam a virar o jogo. É a insegurança e a falta de técnica para tanto.

E foi assim, vendo o Dragão dominar o meio e ser muito mais organizado que eles abriram o placar. Depois, Renato Abreu voltou a acertar um belo chute após muito tempo e empatou o placar. No 2º tempo o Adryan entrou e mostrou que realmente sabe jogar futebol. Logo no 1º lance colocou Diego Maurício em condições de gol. Depois recebeu belo passe e de primeira deslocou o goleiro e marcou seu gol. Logo em seguida Renato acertou outra e marcou o terceiro.

Mas aí vimos o de sempre: o time recuou, ficou do meio-campo pra trás esperando o adversário para sair num contra-ataque que não aconteceu e nunca vai acontecer do jeito que jogamos. O time passou a se livrar da bola, chutar para o campo adversário e esperar o ataque para se defender. Foi aí, quando o Ibson já tinha cansado de errar passes, o Luiz Antonio tinha cansado de ser vencido pelo lateral esquerdo deles, quando o Love dava sinais de desgaste por correr sozinho de um lado a outro do ataque e quando Paulo Victor já não possuía mais repertório de defesas que o Gonzalez resolveu tabelar com Renato na entrada da área, perder a bola e tomar o 2º gol. Um filme que já vimos esse ano.

Para nosso bem o jogo acabou e conquistamos mais uma vitória. De positivo, os 3 pontos e a boa entrada do menino Adryan que mostrou ter condições de brilhar no Mengão. De negativo o mesmo de sempre: pouca movimentação, pouca criatividade e a tristeza de ver o Love sozinho no ataque se desdobrando em 3, 4, lutando até a última gota de suor. Nos dois gols do Renato foi o Love que sofreu a falta. Mas é desumano deixa-lo sozinho brigando com o adversário no ataque.

Agora vem o Fla x Flor. Que a mística do Manto entre em campo para mostrarmos mais uma vez a nossa hegemonia centenária.

SRN, Jefferson Freire – jeffersonfreire@saudacoesrubronegras.com.br

www.twitter.com/jeffersonSRN

Postado por Jefferson às 14:41
Comentários (55)

Posts antigos »

O Exemplar Maestro

Junior foi meu primeiro ídolo no futebol e no Flamengo de quem acompanhei os gols e conquistas de forma consciente. Para mim, tudo começou naquele estadual de 1991, em que o Maestro já dava sinais de que seria o grande líder e condutor de uma ótima safra de garotos talentosos, porém rebeldes e algo porra loucas.

Aliás, o contexto que envolve a volta de Junior ao Flamengo é de arrepiar. Estava lá ele, feliz e satisfeito no Pescara da Itália, quando resolve seu filho Rodrigo, então um menino de uns 7, 8 anos de idade fuzilar:

“Papai, quando vou te ver jogar no Maracanã”?

Um minuto para pensar no efeito desta frase.

.

.

.

.

Então, não restou alternativa a Leo. Rescindiu contrato e veio pro Flamengo de mala em cuia em 1989, já um experiente jogador de 35 anos. A geração Zico e o próprio Rei já estavam no seu ocaso, mas Junior, cria de Copacabana, parece que ganhou sobrevida graças ao formidável preparo atlético adquirido em anos de futebol jogado na areia da praia.

Não à toa, foi apelidado – acho que pelo José Carlos Araújo – de “Vovô Garoto”. Junior exibia forma física exuberante para um jogador tão experiente, ao mesmo tempo que ostentava grandes clarões grisalhos nas laterais da cabeça genial. O capacete, lateral de origem, agora passa a atuar no meio de campo, uma espécie de volante de luxo, coordenando jogadas, regendo o time e cadenciando o ritmo da equipe. Sai Capacete, entra o Maestro – recusem imitações de portugas tricoletes, por favor.

Equipe campeã da Copa do Brasil de 1990

A Copa São Paulo de Futebol Júnior de 1990 teve o Flamengo campeão com gol do zagueiro Jr. Baiano, que teve ascenção meteórica no time, sendo rapidamente promovido a titular da zaga. Formou com Gotardo a defesa pentacampeã em 1992, a melhor que vi jogar pelo Flamengo.  Era lindo ver como Baiano atuava com virilidade e energia ao lado de um sereno e tranquilo Gotardo. Claro que essa energia toda às vezes descambava pro porradeiro, mas tudo bem, ele mesmo admitiu que se sentia possuído quando ouvia “♫ O Baiano é mal, pega um pega geral, oi♫”.

Tinha Baiano, mas tinha também Paulo Nunes, Marcelinho, Nélio e Djalminha. Com a contratação de alguns experientes, como o goleirão Gilmar, o voluntarioso Charles, o próprio Gotardo e o repatriamento do consagrado Junior, estava formada uma base que poderia ganhar muito mais que o Brasileiro de 1992.

Junior percebeu o contexto, e pegou aquela garotada pelo braço, olhou pros mais cascudos como dizendo “segurem aí”, e foi enfileirando conquistas. Claro que não tão importantes quanto a Libertadores de 1981 e o Mundial, mas foram títulos memoráveis, como a Copa do Brasil em 1990, Estadual em 1991 em cima do Fluminense e o penta em 1992 em cima do Botafogo, um capítulo à parte.

YouTube Preview Image

Flamengo 2×0 Bacaiau em 1992

Eu, menino com então 12 anos, ia ao Maraca pela primeira vez naquele ano, numFlamengo 2×0 Vasco nas semifinais. Eu estava nas cadeiras, exatamente atrás de onde Junior cobrou o corner que deu origem ao primeiro gol.

Nas finais não fui ao estádio. Acompanhei pelo rádio, no meio da rua com os moleques da minha vizinhança. Sim, na minha época a garotada se divertia na rua ainda.

YouTube Preview Image

Penta em cima do Botafogo

Os shows protagonizados por Junior ficam para a eternidade. Sua comemoração talvez fosse mesmo uma reverência ao Rodrigo, seu filho, responsável direto pelo regresso do craque ao seu clube de origem e de coração.

Hoje, 29/06,  o Maestro completa mais um ano de vida. Nascido na Paraíba, cuja bandeira é rubro negra, Leovegildo é tão carioca quanto um nativo do Rio e é de quebra o cara que mais vezes jogou pelo Flamengo.

Parabéns, e muito obrigado Junior. Graças a você, comecei com o pé esquerdo – sou canhoto. Não poderia ser melhor minha referência de ídolo.

AVANTE FLAMENGO!

Postado por Julio Benck às 11:32
Comentários (19)

Posts antigos »

Os amantes do erro

Não resta a menor dúvida que os tempos de Joel Santana no Flamengo estão mais que contados. Não há nem mesmo o disfarce. É aberta a intenção da diretoria em substituir logo o treinador. É incontroverso que o Flamengo precisa de reforços, principalmente no setor ofensivo. Também é incontroverso que a Nação está indignada com “Papai Joel” não só pelas escalações e substituições absurdas, mas também pela forma covarde que o Flamengo tem jogado.

As especulações sobre o novo treinador estão nos jornais. Ao que parece o Sampaoli é o favorito da torcida e a escolha mais ousada, já que o treinador terá que se adaptar ao nosso futebol durante o campeonato. Mas um time vencedor se faz por meio de escolhas ousadas e o Sampaoli, hoje, me parece o treinador apto a devolver a ousadia e ofensividade que a torcida exige.

A notícia da contratação de Dunga causou indignação na torcida. Ora, a questão é muito simples. O que mais reclamamos hoje é a forma retranqueira do Joel. A maneira como abdica do ataque para se defender, e o pior, se defender mal. Dunga teve apenas um teste como técnico e foi logo com a Seleção Brasileira. Mas no seu 1º e único teste deu para perceber que não é muito fã do ataque. Que é mais um técnico retranqueiro. Vamos trocar um problema pelo outro? Tirar um retranqueiro nato para pôr um aprendiz de retranqueiro?

O pior é ler os discursos da diretoria que ele seria contratado por causa do seu perfil disciplinador; que sabe se comportar em ambiente sob pressão; que teve experiência em Copa do Mundo, etc., etc. Li estes discursos com enorme decepção. O que estamos buscando exatamente? Queremos um técnico capaz de fazer o time jogar e conquistar títulos, ou queremos apenas alguém para apagar incêndios com jogadores e imprensa? O que será que a diretoria pensa ser a função de um técnico de futebol?

O Joel veio para o Flamengo exatamente por causa desse perfil agregador, boleiro e camarada. Infelizmente não conseguiu unir o grupo, não apagou incêndios e ainda nos tortura toda semana com um time mal treinado e apático.

A diretoria está tendo a chance de ouro de corrigir seu erro, mas parece que quer cometer o mesmo erro, mantendo uma estratégia que não deu certo. Errar faz parte, mas insistir no erro é algo inadmissível. Pode até ser que o Dunga venha e dê certo. Pode ser que o Sampaoli venha e não se adapte. São previsões, nada além disso.

Mas é muito mais digno tentar acertar do que permanecer no mesmo erro. A Nação já se manifestou e ao que parece a diretoria recuou em relação ao Dunga. Queremos novidades, chega dos mesmos nomes. Mas queremos novidades que nos dê ao menos esperança de que recuperaremos nossa forma ofensiva e aguerrida de jogar.

SRN, Jefferson Freire – jeffersonfreire@saudacoesrubronegras.com.br

Postado por Jefferson às 09:59
Comentários (10)

Posts antigos »

Mais do mesmo

O Flamengo foi uma presa fácil para o Grêmio. Não tiveram muito trabalho para nos vencer. Pouco incomodamos a defesa adversária. Quando se tem um time limitado, um elenco curto, sem muitas opções e ainda com um técnico que não prioriza o trabalho tático e técnico, os problemas se multiplicam.

Acredito que o Joel tem grande parcela de culpa na forma como jogamos. Mas temos que lembrar que o mesmo Luxemburgo que ontem treinava nosso adversário também não consegiu dar padrão tático a este time durante mais de 1 ano, e poucas vezes vimos o time jogar bem. O que explica o aparente padrão tático conseguido no Grêmio em tempo muito inferior ao que ele ficou no Flamengo? Ou será que fomos tão frágeis a ponto de maquiar a fragilidade adversária?

Existem times que não encaixam. Começo a pensar que este seja o caso do Flamengo. Aliás, é muito difícil um time encaixar com as opções que temos. Não consigo acreditar que o Bottinelli tenha condições técnicas de armar o time. Até hoje não vi ele justificar sua badalada contratação. Ibson é bom jogador, mas não é um armador nato. Não fará essa função. Quanto ao Renato não tenho mais o que dizer a não ser lamentar suas escalações.

O certo é que do jeito que está o time não vai encaixar. Desde o ano passado ouvimos e falamos que precisamos de um armador nato. A cada dia o discurso ganha mais força, mas por enquanto, nenhuma contratação. E as carências seguem na mesma, ano após ano.

E assim caminhamos, mesmo discurso, mesmas carências e mesmas inércias e omissões. Mais do mesmo…

PS.: Não podemos criticar sem fazer as devidas ressalvas. Percebemos a boa vontade e a disposição do Zinho em contribuir. Mas infelizmente, sabemos que sozinho ele não poderá solucionar os problemas.

SRN, Jefferson  Freire

Postado por Jefferson às 10:33
Comentários (2)

Posts antigos »

Uma enceradeira de respeito

A notícia de que Zinho vem aos poucos ganhando a simpatia e a confiança dos jogadores é um alento nessa tenebrosa era Patricia Amorim.  No início, nada mais natural do que reagirmos com pessimismo à vinda do tetra campeão – em 87 pelo Flamengo e em 1994 pelo Brasil. Já é mais do que manjado que no Flamengo gente séria costuma se estrepar.

Força Crizam!

Passou-se um pouco mais de um mês, e o dirigente vem conseguindo com relativo sucesso dar um norte a um grupo carente de lideranças. Não existe dentro de campo uma influência positiva, mas esta falta é compensada com a sombra generosa de um jogador cuja reputação o precede. Ninguém nunca pôs em dúvida a boa conduta e seriedade de Crizam.

A imprensa em alguns momentos vai exagerar, nos elogios e nas críticas.  O papel dela, impresso ou não, é esse. O de Zinho é acalmar os ânimos, tranquilizar os jogadores e botar a cara quando necessário. E se há poucos acertos na gestão de Patricia, talvez o maior deles tenha sido a contratação de Zinho.

Humildade e serenidade. Deixem a imprensa falar e o homem trabalhar.

AVANTE FLAMENGO!

Postado por Julio Benck às 13:59
Comentários (28)

Posts antigos »